Incentivo e apoio ao empreendedorismo social.

 

Há mais de dez anos, o Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário – IBEAC tem atuado conjuntamente com a comunidade na região de Parelheiros, extremo sul da capital paulistana. Identificando suas potencialidades, é perceptível como a natureza encantadora se faz presente no território: cachoeiras; duas áreas de proteção ambiental com uma vasta área de Mata Atlântica; três bacias hidrográficas que abastecem um terço da região metropolitana; propriedades rurais de agricultura orgânica. 

Porém, grandes desafios estão no cotidiano da população de Parelheiros. Uma pesquisa realizada na região pelo professor Emílio Santos (PUC-RS) apontou altos índices de crianças obesas e desnutridas. Parelheiros também apresenta o 4º maior índice de violência contra mulheres na cidade de São Paulo (Nossa São Paulo – 2018). Ainda, possui o segundo pior IDH da capital paulistana (0,747). A economia, mobilidade urbana, equipamentos culturais e educacionais são outras carências presentes no dia-a-dia da população. 

Em aliança com a comunidade e suas potencialidades, assumimos o desafio  de enfrentar as desigualdades econômicas e sociais do território, provocando transformações a partir do empreendedorismo com propósito. Tendo como objetivo melhorar as condições individuais, apostamos na geração de renda, criando condições para que os indivíduos possam ter seu próprio ganho e sustentabilidade financeira. Por sua vez, apostamos no empreendimento social buscando o desenvolvimento local, a valorização do território e melhoria da qualidade de vida de toda a população residente, impulsionando a economia local. 

 

Amara Cozinha

E nesse paradoxo de uma região que acolhe diversas propriedades rurais produtoras de alimentos orgânicos, recursos naturais e ao mesmo tempo enfrenta problemas nutricionais, violências e dificuldades econômicas, pontos luminoso foram identificados para que transformações ocorressem no território. 

No ano de 2017, iniciou-se o projeto Amara Cozinha a partir de potencialidades da região: a forte presença de frutos nativos da mata atlântica como o Cambuci e Jussara. Com o objetivo de introduzir a alimentação saudável, preservar os frutos presentes no território e simultaneamente a geração de renda, a cozinha localiza-se no espaço Parelheiros Saudável que é coordenado e mantido pela parceria IBEAC e o CPCD (Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento). Na cozinha, são preparados pratos saudáveis com alimentos orgânicos fornecidos pelas propriedades rurais presentes na região, fortalecendo a economia local. As mulheres, conhecidas como Amaras, fazem a gestão participativa do empreendimento, preparando os alimentos, precificando os produtos, aperfeiçoamento e inovando os pratos. Para que avancem seus conhecimentos sobre a gestão, as Amaras participam de diversas formações que lhes são oferecidas. Rodas de conversa na perspectiva do empoderamento feminino, desconstrução de estereótipos e emancipação das mulheres somam-se às práticas. Nesse sentido, a promoção da autonomia se torna item necessário para superar esse grande desafio. O apoio a geração de renda é um caminho possível para que as mulheres que vivem sob a mira da violência possam encontrar sua independência e emancipação. 

 

Acolhendo em Parelheiros 

E não para por aí. A presença de propriedades rurais de agricultura orgânica é outra potencialidade presente no território e que muitos paulistanos desconhecem. Desenvolvido pelo IBEAC, em parceria com a Associação de Agricultores Acolhida na Colônia (SC), A Araribá – turismo & cultura , o SESC – São Paulo e a Cooperapas – Cooperativa Agroecológica dos Produtores Rurais e de Água Limpa da Região Sul de São Paulo, outro projeto foi idealizado: o Acolhendo em Parelheiros. O desenvolvimento do projeto está baseado em uma metodologia francesa chamada Accueil Paysan (Acolhida na Colônia), que está no Brasil desde 1999. Foi em Santa Catarina que o IBEAC conheceu os trabalhos desenvolvidos a partir dessa estrutura, percebendo que era viável implementá-la em São Paulo. 

Com o objetivo de transformar o território usando como ferramenta o agro turismo comunitário, o Acolhendo em Parelheiros é uma alternativa para que o pequeno agricultor orgânico complemente sua renda e ao mesmo tempo tenha a oportunidade de mostrar ao turista a importância de Parelheiros e de suas atividades para toda a cidade, uma vez que incluímos aos roteiros turísticos a visitação à outros projetos sociais. Ainda, proporciona vivenciar os cuidados com a terra, as tecnologias sustentáveis, tendo como base a permacultura. Sendo assim, possibilita o intercâmbio cultural, demonstrando os costumes e sabedorias da vida rural. Hoje, o projeto reúne sete propriedades que podem vivenciar a solidariedade participativa, onde todos se ajudam. 

 

Portanto, nossos projetos que apostam na geração de renda e no empreendedorismo social ancoram-se nos três pilares principais da sustentabilidade: social, econômico e ambiental. A geração de renda e o empreendedorismo social em uma região social e economicamente carente trás novas possibilidades de vida, valorizando suas potencialidades e transformando coletivamente a realidade local.