No meio do caminho tinha uma casa

Duas organizações, um território, um sonho, uma equipe…

Estar em Parelheiros há tanto tempo, conhecer cada morador, cada ponto luminoso, cada criança, cada sorriso e olho brilhando e o desejo de querer contribuir com a melhoria da região  foi o que motivou Ibeac e CPCD para querer Parelheiros o melhor lugar para nascer e viver.

Uma área de manancial, verde, de água limpa, no extremo sul da cidade, cheia de potencial mas também com suas dificuldades de mobilidade e de acesso. 

Com a utopia de cada dia querer mais e mais pra essa região, Ibeac e CPCD cutucaram um time que vai se somando a outros, da literatura, da saúde, da educação, da cultura e aqueles que se juntam pra sonhar juntos na realização desse sonho.

No cuidado com as gestantes e os bebês, um desafio surgiu, reduzir as distâncias entre Parelheiros e a Maternidade Interlagos, a mais próxima da região. Laços foram criados, mães mobilizadoras frequentam a maternidade com frequencia levando a mediação de leitura, a flor de mãe, o carinho e a acolhida, o apoio. Maternidade abre as portas também para a entrada da literatura, com algibeiras literárias pelos corredores para os funcionários e o publico, salinha de descanso da equipe reativada e o desejo de ser a primeira Maternidade Literária começa a tomar forma.

Mas ainda os braços de tantos que se juntaram querem mais e surge assim um espaço  ali, no meio do caminho. Um espaço de BELEZURA, EMPODIMENTO, AFETO, COLO, GOSTOSURAS, PENSAÇÃO, CAFUNÉ que vai acolher, dar colo, cuidar das gestantes no caminho da chegada.

Inaugura-se “No meio do caminho tinha uma casa”, um espaço de encontro, de acolhida, cuidado, bem pertinho da maternidade.

As portas foram abertas com a acolhida do Cortejo das Escritureiras e a Chegança das Mães Mobilizadoras, com muita música, dança e brincadeira, resgatando a cultura da infância, da brincadeira na rua.

Entrando na casa, os visitantes foram guiados por cada espaço, podendo vivenciar e sentir cada cantinho. Com exposição de fotografia “Mulheres Daqui”, paredes de tinta de terra, biblioteca, cantinhos cuidados com muito carinho. Teve a “Feira da Quebrada” com os produtos orgânicos vindos direto de Parelheiros, as Amaras prepararam deliciosos caldos e salgadinhos, pães e bolos já pensando na alimentação saudável. Chegaram na casa a equipe da Maternidade, amigos, gestantes, escritoras…

Houve momento de respiração e relaxamento, autocuidado com Renata Mendes, todo mundo saindo mais leve e com consciência do próprio corpo.

Cia Artemanha levou “Pelos olhos de Carol”, levando a menina Carolina Maria de Jesus e a reflexão sobre identidade e a fome. Depois de uma dinâmica cheia de emoção, os participantes seguiram para o espaço da Pensação onde foram acolhidos por Stela Barbieri, com cantigas de ninar e histórias e com o seu livro “Quero colo” nos aninhou com sua linda voz. Fechamos com músicas da nossa infância e Vera Lion e Tião Rocha agradecendo.

Dia lindo, ensolarado, com muita gente que deu as mãos pela mesma causa.

Abrem-se as portas da casa do meio do caminho.

Em breve divulgaremos sobre o funcionamento da casa.

Stella- Barbieri


Tags: , , , , , , ,

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *